terça-feira, 23 de novembro de 2010

Angela Lara



Bordado

Hoje tenho falhas na alma
nos dentes
na memória
Todos em falsetes
felizes e sorridentes
por terem me trazido até aqui

Hoje tenho marcas
que nem poderia dizer
são fundas
são frias
me ajudam a entender
que o amor é difícil
o amor é pra quem quer receber

Tenho marcas que nenhuma
mão consegue apagar

todas desenhadas com alegria
bordadas em renda fina
e rasgadas ao amanhecer
Tenho um cio que confunde a alma
transcende a calma
e me impede de morrer...

© Angela Lara
Porto Alegre (RS) – Brasil


Conheça a sensibilidade de Angela Lara, visitando–a em sua página no Recanto das Letras.

3 comentários:

Anônimo disse...

Marise, que carinho gostoso !!! Muito Obrigada pela alegria de participar deste lindo Blog. Já o coloquei em meus favoritos para visitá-lo seguido. Um abraço!!!!!
Angela Lara

Graça disse...

Lindo esse poema da Ângela, lindo e profundo, como eu gosto e aprecio...
Parabéns à autora!

Marise, quero agradecer sua visita sempre muito simpática, doce e amável em meu blog Botões de Madrepérola. Sim, acompanhe a Série, que vai estar muito rica, convidativa, completa.
Obrigada, de coração.

Beijos, querida!!!!
Paz pra você.

Sonia Pallone disse...

Oi linda, bom dia. Eu amo Angela Lara! Foi uma das primeiras grandes queridas aqui da net. Lindo poema dela, postado aqui. Bjs.