segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Cecília Rodrigues



Soneto Leve

Na hora mais serena eu penso em ti!
Na brisa mais amena, sinto-o leve;
Tal como um suave beijo do Bem-Te-Vi,
Visto-me deste sonho que me embebe...

Remansos de mim, poesia se atreve
Vítima de nós, e eu vítima de ti;
Passos de letras sós, i'nda que breves,
I'nda que lentos, esmorecem aqui!

Neste poema, d'intemporal quimera
Leio e releio, qual infinita era...
Talvez te encontre naquilo que eu reli;

Talvez, eu te sinta um sinuoso poema...
Sigo o caminho desta minha pena...
E ao cantar o amor, digo: - Não te perdi!

© Cecília Rodrigues
Viseu – Portugal


Visite Cecília em seu espaço Cecy Poemas

Um comentário:

Cecília Rodrigues disse...

Querida amiga Marise, que gentileza e que urpresa em fazer parte desteveu lindo bog...obrigada pelo carinho da minha poesia constar nele.
O Tempo d eOlavo Bilac que também encontrei aqui, é dos meus poemas preferidos .
Beijo grande e bom carnaval!
Cecília Rodrigues